CLIPPING DA ABRAFRIGO Nº 1528 DE 13 DE JULHO DE 2021

clipping

Ano 7 | nº 1528 | 13 de julho de 2021

NOTÍCIAS

Boi gordo: preços estáveis em São Paulo

Preços estáveis na segunda-feira, frente a última quinta-feira (8/7), pré-feriado nas praças paulistas

O aumento da oferta de bovinos de primeiro giro de confinamento, somado às escalas de abate relativamente confortáveis, mantiveram os preços estáveis na segunda-feira, frente a última quinta-feira (8/7), pré-feriado nas praças paulistas. Assim, o boi, vaca e novilha gordos ficaram cotados, respectivamente, em R$315,00/@, R$294,00/@ e R$310,00/@, preços brutos e a prazo. Para bovinos que atendem o mercado externo, a depender do lote e distância, os negócios chegam até R$320,00/@, preço bruto e à vista.

SCOT CONSULTORIA 

Boi: com escalas de abate confortáveis arroba recua, diz Safras & Mercados

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, as escalas de abate mais confortáveis garantiram mais uma queda das cotações da arroba do boi gordo no mercado brasileiro. Em São Paulo, o preço passou de R$ 318 para R$ 317, na modalidade a prazo. O cenário de pouca oferta ainda evita quedas maiores nas principais praças.

CANAL RURAL

Valor do boi gordo recua até R$ 3 em Minas Gerais

Frigoríficos iniciaram a semana exercendo pressão sobre os pecuaristas, considerando uma posição mais confortável em suas escalas de abate, diz a Safras

O mercado físico de boi gordo registrou preços predominantemente mais baixos na segunda-feira, 12. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos iniciaram a semana exercendo pressão sobre os pecuaristas, considerando uma posição mais confortável em suas escalas de abate. “Mas o volume de animais ofertados não é significativo neste momento, o que limita a capacidade dos frigoríficos de conseguir preços mais baixos”, disse. Já o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) atualizou suas projeções em relação ao Setor Carnes para o ano de 2021. O rebanho inicial de matrizes suínas na China foi mantido em 38,5 milhões de cabeças. A produção de carne suína apresentou bom crescimento, em torno de 20,4%, estimada a 43,75 milhões de toneladas. De acordo com USDA, a China seguirá absorvendo bons volumes de proteína animal em 2021, com um potencial de mudança mais significativo em 2022. Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 317 na modalidade a prazo, ante R$ 317 na sexta-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 305, estável. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 309, ante R$ 311. Em Cuiabá, a arroba foi negociada a R$ 307 – R$ 308, contra R$ 309. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 311 a arroba, contra R$ 31G a arroba. No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. O corte traseiro teve preço de R$ 21,05 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 17,30 o quilo e a ponta de agulha permaneceu em R$ 17,40 o quilo.

AGÊNCIA SAFRAS

na segunda semana de julho Volume exportado de carne bovina atinge 52,9 mil toneladas

O volume exportado de carne bovina in natura registrou um bom desempenho na segunda semana de julho, com movimentação de 52,9 mil toneladas

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, informou que a média diária alcançou 7,5 mil toneladas e isso representa um avanço de 2,87% frente a média do total exportado em julho do ano passado, com 7,3 mil toneladas. Para o analista da Safras & Mercados, Fernando Henrique Iglesias, o desempenho das exportações está atrelado ao câmbio. “O real voltou a se desvalorizar na semana passada em que saiu dos R$ 4,98 e foi para R$ 5,19.  Além disso, as compras chinesas contribuíram para o bom desempenho das exportações”, disse. Os preços médios obtidos estão próximos de US$ 5,356, por tonelada, alta de 31,23% diante julho de 2020, com valor médio de US$ 4,081 por tonelada. O valor negociado para o produto foi de US$ 283,8 milhões. A média diária ficou em US$ 40,550 milhões registrando crescimento de 34,99%, se comparada ao mês de julho do ano passado, com US$ 30,038 milhões.

AGÊNCIA SAFRAS 

China promove nova rodada de renegociação de preços com frigoríficos brasileiros

Confirmação pode limitar movimento de alta na arroba do boi e com a chegada da segunda quinzena do mês pode limitar movimento de alta na arroba, mesmo diante de uma oferta restrita

O Analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, informou que os chineses aproveitaram para comprar carne suína na semana passada para recompor os estoques públicos. “Os chineses compraram em torno de 30 mil toneladas de carne e isso ajudou a recuperar os preços da suinocultura chinesa após quedas expressivas nos últimos meses”, destacou. Os chineses também aproveitaram para renegociar os preços da carne com os principais importadores, incluindo o Brasil. “Isso pode comprometer novas altas para as cotações da arroba brasileira mesmo diante de uma oferta restrita de animais”, ressaltou. As negociações para o mercado do boi gordo iniciaram a semana de forma comedida e diante das escalas de abate mais confortáveis. “As programações de abate atendem uma média de 5 a 6 dias úteis no estado de São Paulo. Além disso, as indústrias não conseguem exercer uma pressão negativa nos preços da arroba”, disse ele. Os preços da carne subiram na primeira quinzena de julho, principalmente nos cortes de traseiro que estão ao redor de R$ 21,05/kg e o dianteiro está na faixa de R$ 17,30/kg. “As cotações encontraram espaço para reação nas primeiras semanas do mês, mas a grande questão é que o consumidor brasileiro segue limitado e não consegue absorver tantos reajustes”, completou.

AGÊNCIA SAFRAS 

Comissão volta a debater projeto que substitui fiscalização agropecuária por programas de autocontrole

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados realiza audiência pública na quarta-feira (14) para discutir o Projeto de Lei 1293/21, do Poder Executivo, que substitui a legislação atual de defesa sanitária por um novo modelo de fiscalização agropecuária baseado em programas de autocontrole executados pelos próprios agentes regulados (produtores agropecuários e indústria)

A proposta está em análise no colegiado. A audiência foi solicitada pelo deputado Jose Mario Schreiner (DEM-GO) e tem por objetivo ouvir entidades não contempladas no debate promovido pelo colegiado em junho. “A temática do autocontrole dos agentes privados regulados pela defesa agropecuária é de tamanha importância que uma só audiência pública não será capaz de contemplar todos os setores da sociedade interessados no seu debate”, justifica o parlamentar. A audiência está marcada para as 9h30, no plenário 6.

Agência Câmara 

ECONOMIA

Dólar tem queda com reforma tributária no radar, após ganhos recentes

O dólar caiu acentuadamente contra o real nesta segunda-feira, quebrando uma longa sequência de altas diárias consecutivas, em meio à redução dos receios em torno da reforma tributária e à perspectiva de juros mais altos no Brasil

A moeda norte-americana à vista caiu 1,61%, a 5,1736 reais na venda. O movimento vem na esteira de uma sequência de altas consecutivas iniciada no dia 29 de junho. Na B3, o principal contrato de dólar futuro caía 1,63%, a 5,185 reais. O ministro da Economia, Paulo Guedes, assegurou em almoço com empresários na semana passada que eventuais distorções da reforma tributária –encaminhada recentemente pelo governo ao Congresso Nacional– serão corrigidas. Em sua última reunião de política monetária, o Banco Central promoveu a terceira alta consecutiva de 0,75 ponto percentual da taxa Selic, a 4,25%, e indicou que vai anunciar aumento da mesma magnitude, pelo menos, em sua próxima reunião. Ainda assim, o clima em Brasília tem sido motivo de cautela. Na sexta-feira, o Presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, por ser contra mudança no sistema de votação do país para incluir o voto impresso e mais uma vez colocou em dúvida a realização das eleições do ano que vem. Em reação a isso, o Presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que o Parlamento repudia qualquer especulação sobre a não realização do pleito de 2022 e garantiu que a eleição vai ocorrer. Em meio ainda às investigações da CPI da Covid-19 no Senado, uma pesquisa Datafolha mostrou no sábado que a maioria dos entrevistados apoia a abertura de um processo de impeachment contra Bolsonaro. Mesmo com a desvalorização desta segunda-feira, o dólar ainda acumula ganho de 5,45% contra a moeda brasileira desde que fechou o dia 24 de junho numa mínima em mais de um ano de 4,9062 reais.

REUTERS

Com aval de NY, Ibovespa avança em sessão de ajustes

O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira com novos recordes em Wall Street

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,73%, a 127.593,83 pontos. O volume financeiro somou 26,5 bilhões de reais. Na visão do gestor de renda variável da Western Asset, Cesar Mikail, o Ibovespa refletiu movimentos técnicos, de ajustes ao comportamento do mercado nos Estados Unidos e dos ADRs (American Depositary Receipt) de empresas brasileiras na sexta-feira. No último dia 9, a bolsa paulista fechou em razão de feriado em São Paulo, enquanto o iShares MSCI Brazil ETF, considerado uma medida do desempenho do Ibovespa em dólar, subiu 1,3% no mercado norte-americano. Nesta sessão, avançou quase 2%. Entre os ADRs brasileiros, o da Vale saltou 3% na última sexta-feira. No Brasil, a safra de balanços deve ganhar fôlego no final do mês. Em Wall Street, na segunda-feira, Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq Composite renovaram máximas históricas, impulsionados pelas ações da Tesla, tendo no radar a temporada de balanços e uma série de dados econômicos.

REUTERS 

Valor da Produção Agropecuária de 2021 é estimado em R$ 1,099 trilhão

As lavouras representam R$ 753,2 bilhões e a pecuária, R$ 346,2 bilhões

A estimativa do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021 é de R$ 1,099 trilhão, 10,5% acima do valor de 2020, que foi de R$ 995 bilhões. O faturamento das lavouras, em valores reais, cresceu 13,8%, e a pecuária, 3,8%, ambos em relação ao ano passado. Os produtos que mais se destacaram foram arroz, com aumento do VBP de 3,8%, cana-de-açúcar 2,3%, milho 15,7%, soja 30,2% e trigo 34,6%. Estes cinco produtos representam 55,4% do VBP total. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o plantio tardio do milho de segunda safra e o clima adverso em algumas regiões como geadas, afetaram a produção e a produtividade, que tiveram quedas de 10,8%, e 17,5% respectivamente. Apesar desses eventos, o milho tem tido fortes aumentos de preços, que resultam em acréscimos no valor da produção. Na pecuária, os melhores resultados estão sendo observados em carne bovina, que teve acréscimo de 7,5 % no VBP, e em carne de frango, acréscimo de 6,1%. Outros componentes da pecuária como suínos e leite, estão com pior desempenho. Uma relação de produtos apresenta redução de valor da produção em relação a 2020. São estes: algodão, amendoim, banana, batata-inglesa, cacau, café, feijão, laranja, mandioca, tomate e uva. Entretanto, as reduções não são elevadas. Isso tem ocorrido principalmente devido às quedas de quantidades produzidas e de preço. Recordes de VBP podem ser observados em arroz, soja, milho e trigo, pois obtiveram valores não observados numa série desde 1989. Chama atenção o trigo, que além do recorde de valor neste ano, tem a previsão de uma safra de 8,48 milhões de toneladas. Até este ano, o maior valor foi observado em 2015-2016 quando a safra foi de 6,73 milhões de toneladas.  Um ranking dos estados indica que os cinco primeiros em termos de VBP são Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Esses têm sua economia baseada em forte ênfase em milho e soja, e também na produção pecuária.

MAPA 

Economistas do mercado financeiro veem taxa básica de juros em 7% no fim de 2022

Desde março o Copom vem aumentando a Selic, que agora está 4,25% ao ano, para tentar conter o avanço da inflação

O Relatório de Mercado Focus, consulta feita pelo Banco Central com uma centena de economistas do mercado financeiro, trouxe na segunda-feira, 12, que as previsões para a Selic neste ano foram de 6,50% para 6,63% ao ano. Há um mês, estava em 6,25%. No caso de 2022, a projeção foi de 6,75% para 7,00% ao ano, ante 6,50% de um mês antes. Para 2023 e 2024, a expectativa é que fique em 6,50%. Em março, na primeira elevação em quase seis anos, a taxa básica da economia passou de 2% para 2,75% ao ano. Em maio, foi para 3,5% ao ano e, em junho, avançou para 4,25% ao ano. O objetivo das altas recentes, promovidas pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, é conter a pressão inflacionária. A projeção do mercado financeiro para a inflação em 2021 se distanciou ainda mais do teto da meta perseguida pelo Banco Central. Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA – o índice oficial de preços – de alta de 6,07% para 6,11%. Há um mês, estava em 5,82%. A projeção para o índice em 2022 foi de 3,77% para 3,75%. Quatro semanas atrás, estava em 3,78%. O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2023, que seguiu em 3,25%. No caso de 2024, a expectativa foi de 3,25% para 3,16%. A projeção dos economistas para a inflação já está bem acima do teto da meta de 2021, de 5,25%. O centro da meta para o ano é de 3,75%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). A meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%), enquanto o parâmetro para 2023 é de inflação de 3,25%, com margem de 1,5 ponto (de 1,75% a 4,75%). Para 2024 a meta é de 3,00%, com margem de 1,5 ponto (de 1,5% para 4,5%). Para o PIB em 2021, a expectativa para a economia este ano passou de alta de 5,18% para elevação de 5,26%. Há quatro semanas, a estimativa era de 4,85%. Para 2022, o mercado financeiro alterou a previsão do PIB de alta de 2,10% para 2,09%.  Quatro semanas atrás, estava em 2,20%.

O ESTADO DE SÃO PAULO 

EMPRESAS

Marfrig vai investir US$ 50 mi em unidade no Uruguai

A Marfrig pretende investir mais de US$ 50 milhões na unidade de Tacuarembó, localizada em cidade de mesmo nome no Uruguai, informou a empresa na segunda-feira (12)

Representantes da companhia reafirmaram a intenção de investimento durante encontro com o presidente uruguaio Luis Alberto Lacalle Pou em junho. A Marfrig disse que o investimento de US$ 50 milhões na unidade Tacuarembó já havia sido anunciado no início deste ano. A empresa também pretende realizar investimentos em outras unidades no país vizinho para melhorias e expansão em 2021. “Esse novo investimento estratégico e os 15 anos de atuação no país reforçam nosso comprometimento com os planos para o futuro da companhia no Uruguai”, disse o Presidente do Conselho de Administração da Marfrig, Marcos Molina, em comunicado. A Marfrig emprega mais de 3,7 mil pessoas nas unidades uruguaias de Tacuarembó, Salto, Fray Bentos, Rio Negro, Colônia e San José. A empresa também é a maior exportadora de carne do país, com mais de 140 mil toneladas embarcadas em 2020, e espera crescimento dos embarques em 2021. “O governo uruguaio é comprometido com a produção de qualidade, com os produtores e vem mantendo o crescimento respeitando as regras e atraindo investimentos”, disse o CEO da Marfrig para América do Sul, Miguel Gularte.

CARNETEC

FRANGOS & SUÍNOS

Embarques de carne de frango surpreendem o setor neste início de julho

Segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, as exportações de carnes de aves in natura nos primeiros sete dias úteis de julho atingiram praticamente a metade do total arrecadado com os embarques da proteína em julho de 2020

Para o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o desempenho das exportações de carne de frango é animador, já que se esperava queda devido ao embago da habilitação de 11 frigoríficos brasileiros por parte da Arábia Saudita no início de maio. “Estes volumes que antes eram absorvidos pelos sauditas agora são pulverizados para China, Emirados Árabes, África do Sul, Países Baixos”, explicou. A receita obtida neste início de mês, US$ 222.176, representa 49,7% do montante obtido em todo julho de 2020, que foi de US$ 446.624. No volume embarcado, as 127.309 toneladas são 37,8% do total movimentado em julho do ano passado, com 337.256 toneladas. O faturamento por média diária, US$ 31.739, foi 63,45% maior do que julho do ano passado. Em comparação à semana anterior, houve alta de 13,6%. Em toneladas por média diária, foram 18.187, avanço de 24,03% no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Quando comparado ao resultado da semana anterior, aumento de 5,1%. No preço pago por tonelada, US$ 1.745, foi 31,78% superior ao praticado em julho do ano passado. Em relação ao valor registrado na semana anterior, houve avanço de 8,1%.

AGÊNCIA SAFRAS

Exportação de carne suína em sete dias úteis atinge 40% do total faturado em julho/20

Segundo informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, as exportações de carne suína fresca, congelada ou resfriada nos primeiros sete dias úteis de julho seguem com bom ritmo

A receita obtida neste início de mês, US$ 77,930 milhões, representa 40,67% do montante obtido em todo julho de 2020, que foi de US$ 191,570 milhões. No volume embarcado, as 31.091 toneladas são 34,5% do total exportado em julho do ano passado, com 90.246 toneladas. Para o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a China continua comprando grandes volumes, mas é preciso olhar com cautela para o mercado chinês. “As informações são conflitantes, não confirmadas oficialmente, então falta um norte para o mercado. Os casos de Peste Suína Africana ocorridos este ano, por exemplo, não foram sequer confirmados pela OIE”, disse. O faturamento por média diária no início de julho foi de US$ 11,132, quantia 33,66% maior do que julho de 2020. No comparativo com a semana anterior, houve queda de 8,4%. Em toneladas por média diária, foram 4.441, houve avanço de 13,20% no comparativo com o mesmo mês de 2020. Quando comparado ao resultado da semana anterior, recuo de 4,6%. No preço pago por tonelada, US$ 2,506, ele é 18,06% superior ao praticado em julho passado. O resultado, frente ao valor atingido na semana anterior, representa queda de 4%.

AGÊNCIA SAFRAS

Alívio no preço do milho em junho fez custo de produção de suínos baixar 6,50%, segundo Embrapa

A Embrapa Suínos e Aves divulgou na segunda-feira o Índice de Custos de Produção de Suínos (ICPSuíno) referente a junho, e os dados mostram queda, principalmente na alimentação dos animais. Em relação a maio, houve recuo de 6,50% no ICP/Suíno

O principal quesito que pesa nas contas do suinocultor, a nutrição dos animais, caiu 6,61% em junho em relação a maio. No acumulado dos últimos 12 meses, houve um avanço de 35,32%, e desde janeiro, os custos com a nutrição dos suínos subiu 2,87%. Atualmente, a alimentação dos suínos representa 80,84% do total investido na atividade. A título de comparação, em junho de 2020, a alimentação dos animais representava 78,85% do total de investimentos na granja, segundo a Embrapa. Entre junho de 2020 e o mesmo mês de 2019, a nutrição dos suínos havia avançado 16,65%, valor muito inferior à alta de 35,32% entre junho de 2020 a junho de 2021. Em Santa Catarina, o Estado que lidera a produção de suínos no Brasil, os custos, de forma geral, caíram 6,57% em junho em relação a maio, atingindo R$ 6,82/kg. No que diz respeito à alimentação dos suínos, a queda foi de 8,16%, chegando a R$ 5,51/kg. Ao estender a comparação entre junho deste ano com junho de 2020, o aumento dos custos de produção na suinocultura em Santa Catarina foi de 47,6%. A alimentação das aves passou de 3,65/kg para R$ 5,51/kg no período de 12 meses, subindo 50,95%.

Embrapa

Embrapa: Custos de produção de frango caem 2,11% em junho

A Embrapa Suínos e Aves divulgou na segunda-feira (12) o Índice de Custos de Produção de Frango (ICPFrango) referente a junho, mostrando queda, principalmente no item alimentação das aves

De acordo com o levantamento, em relação a maio, houve um recuo de 2,11% no ICPFrango. O principal item que pesa nas contas do avicultor, a nutrição dos animais, caiu 2,78% em junho, em relação a maio. No acumulado deste ano, a alta na alimentação das aves já representa 14,75%, e entre junho de 2020 até junho deste ano, o avanço foi de 35,96%. Atualmente, ela representa 75,04% do total de custos da produção avícola. Em comparação, em junho de 2020, a alimentação das aves representava 71,56% do total de investimentos na granja, segundo a Embrapa. Entre junho de 2020 e o mesmo mês de 2019, a nutrição das aves havia avançado 15,87%, valor muito inferior à alta de 35,96% entre junho de 2020 a junho de 2021. No Paraná, Estado que lidera a produção de frangos no Brasil, os custos chegaram a R$ 5,16/kg de frango, queda de 2% em relação a maio. Comparando o valor com junho de 2020, houve alta de 52,21%.  No caso da alimentação das aves no Paraná, o investimento médio em junho foi de R$ 3,87/kg, queda de 3,87% em relação a maio. Quando se compara com o valor de R$ 2,42/kg na nutrição das aves, registrado em junho de 2020, aumento de 59,9%.

Embrapa 

INTERNACIONAL

USDA quer investir US$ 500 mi para expandir capacidade de processamento de carnes

O Departamento de Agricultura dos EUA vai oferecer recursos, empréstimos e assistência técnica para o estabelecimento de novas unidades de processamento

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) pretende investir US$ 500 milhões para expandir o setor de processamento de carnes do país, anunciou a agência em comunicado. Como parte dos esforços do governo do Presidente Joe Biden para combater a concentração no setor, o USDA vai oferecer recursos, empréstimos e assistência técnica para o estabelecimento de novas unidades de processamento e para aliviar gargalos na cadeia de suprimentos. O USDA também anunciou mais de US$ 150 milhões para ajudar pequenas e médias unidades de processamento a lidar com o impacto da pandemia de Covid-19, competir no mercado e alcançar mais clientes. “Durante a pandemia, descobrimos que nosso sistema alimentar, embora incrivelmente eficiente, não era resiliente”, disse o Secretário de Agricultura dos EUA, Tom Vilsack, durante coletiva de imprensa em um açougue de Iowa, na sexta-feira (9). Segundo Vilsack, a ampliação da capacidade de processamento vai resultar em mais mercados, mais opções e maior renda para criadores.

Dow Jones Newswires

ABRAFRIGO

imprensaabrafrigo@abrafrigo.com.br

POWERED BY EDITORA ECOCIDADE LTDA 

041 3289 7122

 

abrafrigo

Leave Comment