CLIPPING DA ABRAFRIGO Nº 1479 DE 04 DE MAIO DE 2021

clipping

Ano 7 | nº 1479| 04 de maio de 2021

 

NOTÍCIAS

Boi gordo: mercado estável em São Paulo

Após as ofertas de compra com preços mais baixos na última semana, o mercado abriu estável em relação ao fechamento de sexta-feira (30/4). Boa parte das indústrias frigorificas estiveram fora das compras, observando os primeiros movimentos do mercado

Segundo levantamento da Scot Consultoria, em São Paulo, o boi, vaca e novilha gordos ficaram apregoados, respectivamente, em R$312,00/@, R$290,00/@ e R$303,00/@, preços brutos e a prazo. Para animais que atendem ao mercado externo, pode haver um ágio de até R$8,00/@.

SCOT CONSULTORIA

Boi: arroba chega a R$ 310 em São Paulo, diz Safras & Mercado

O movimento de melhora da oferta segue impactando negativamente os preços da arroba no mercado físico brasileiro de boi gordo 

Em São Paulo, a arroba recuou de R$ 311 para R$ 310 na comparação diária, de acordo com a consultoria Safras & Mercado. O analista Fernando Iglesias diz que a semana começou com um maior volume de boiadas ofertadas no físico. Segundo os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), em abril, foram exportadas 125,47 mil toneladas de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada. Dessa forma, o resultado representou o melhor abril de toda a série histórica, mesmo com a forte perda de ritmo na última semana do mês, que pode ter sido causada pela queda do dólar em relação ao real.

CANAL RURAL

Exportação de carne bovina in natura cresce 7,92% em abril

Recuo do dólar impactou o volume exportado na última semana de abril/21

As exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada registraram o segundo melhor desempenho de 2021 tanto em volume quanto em faturamento. O mês de abril/21 encerrou com US$ 597,9 milhões, e o volume exportado atingiu 125,4 mil toneladas. Na comparação mensal, abril registrou queda de 6,28% frente à quantidade embarcada em março de 2021 que registrou o melhor desempenho do ano com 133,8 mil toneladas. Já no comparativo anual, o volume embarcado teve um avanço de 7,92% se comparado a abril/20 com movimentação de 116,2 mil toneladas. Na segunda-feira (03), a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) informou que a média diária ficou em 6,2 mil toneladas, aumento de 7,89%, frente a abril do ano passado, com 5,8 mil toneladas. Segundo o analista da Agrifatto Consultoria, Yago Travagini, na última semana de abril o embarque ficou aproximadamente em 18,8 mil toneladas, sendo que nas primeiras semanas do mês a média semanal exportada estava ao redor de 35 mil toneladas. Esse recuo do volume exportado pode ser reflexo da desvalorização do câmbio. O preço médio de abril ficou próximo de US$ 4.765 por tonelada, alta de 9,01% frente a abril de 2020 com o valor médio de US$ 4.372 mil por tonelada. A média diária, US$ 29,899 milhões, atingiu valorização de 17,61%, em relação a abril do ano passado, com US$ 25,422 milhões.

AGRIFATTO 

Câmara dos Deputados: Proposta determina identificação eletrônica do gado criado a pasto

O Projeto de Lei 345/21, de autoria do deputado David Soares (DEM-SP), exige o uso de identificação eletrônica em animais criados exclusivamente no sistema de pastagem

O Projeto de Lei 345/21, que tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, exige o uso de identificação eletrônica em animais criados exclusivamente no sistema de pastagem. O equipamento oferecerá documentação completa, localização por satélite e histórico dos registros. Conforme a proposta, nenhum animal será levado a pasto, transportado ou abatido na falta de identificação eletrônica. Nessa condição e sem justificativa, estará sujeito a apreensão. A identificação eletrônica será colocada em local indolor, até cinco dias após o nascimento, salvo orientação diversa de veterinário. Autoridades sanitárias de proteção ao meio ambiente e de fiscalização terão amplo acesso aos dados. “A identificação eletrônica de bovinos tende a contribuir de muitas maneiras com o agronegócio, mas necessita ainda de regulamentação que estabeleça regras e parâmetros”, explicou o autor, deputado David Soares (DEM-SP).

Agência Câmara de Notícias 

Preço do boi gordo recua, mas analista prevê alta na entressafra

Há a expectativa de uma redução do primeiro giro de confinamento em função do crescimento dos custos em 2021, levando a um cenário de oferta restrita

O mercado físico de boi gordo registrou preços mais baixos na maioria das praças de produção e comercialização do país na segunda-feira, 3. Segundo o analista de Fernando Henrique Iglesias, a semana começa com maior volume de animais ofertados no mercado físico do boi gordo. Em grande parte do Centro-Sul os frigoríficos conseguem dar seguimento com alguma tranquilidade para suas escalas de abate, posicionadas entre cinco e sete dias úteis. Para o início da entressafra a preocupação é grande, avaliando a expectativa de uma redução do primeiro giro de confinamento em função do crescimento dos custos em 2021. “Ou seja, o mercado voltará a conviver com um ambiente pautado pela restrição de oferta, permitindo a retomada do movimento de alta”, diz Iglesias. Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou a R$ 310 ante R$ 311 na sexta-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 290 contra R$ 293. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 300 ante R$ 301. Em Cuiabá, o preço indicado foi de R$ 308, estável. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 301 a arroba, ante R$ 302. No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem acomodados. Com isso, o corte traseiro teve preço de R$ 20,45 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 18,00 o quilo, e a ponta de agulha permaneceu em R$ 17,95 o quilo.

AGÊNCIA SAFRAS

ECONOMIA

Dólar inicia maio em leve queda por exterior

O dólar começou maio em queda ante o real, com o ambiente externo benigno estimulando investidores a devolver uma fração da forte alta da sessão anterior

O dólar à vista caiu 0,24%, a 5,4182 reais. Na sexta, a cotação havia saltado 1,81%. O noticiário doméstico foi leve, o que direcionou as atenções para o movimento externo. Lá fora, o índice da moeda norte-americana cedia 0,31%, com a divisa em baixa frente aos pares mais próximos do real. Wall Street fechou em alta, com as ações globais ainda próximas de recordes históricos, enquanto o petróleo também avançou –combinação que indica perspectiva de rápido crescimento econômico mundial, o que tende a beneficiar ativos de risco como moedas emergentes, grupo do qual o real faz parte. Em meio a reveses ao governo na CPI, o Executivo tem tentado gerar fatos positivos no âmbito das reformas econômicas. O relatório da reforma tributária será lido na terça-feira em reunião da comissão mista do Congresso que discute o tema, informou a assessoria do relator do texto, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), nesta segunda-feira. Na semana passada, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), havia anunciado que receberia o relatório final da reforma tributária nesta segunda, reiterando que sua aprovação é prioridade.

REUTERS

Ibovespa tem leve alta

O principal índice da Bovespa fechou a segunda-feira em leve alta, com investidores de carteiras comprando ações de bancos e de empresas mais capazes de serem beneficiadas pela reabertura da economia e realizando lucros com papéis ligados a commodities

O Ibovespa avançou 0,27%, aos 119.209,48 pontos. O giro financeiro da sessão totalizou 31,3 bilhões de reais. Atentos ao “sell in May and go away” (venda em maio e vá embora) típico no Hemisfério Norte, quando investidores de lá vendem ações antes do verão, gestores no Brasil avaliam que há espaço para sequência do avanço de algumas ações domésticas, mesmo após alta acumulada de 8% do Ibovespa entre março e abril. Em Nova York, os principais índices fecharam sem direção única, com S&P 500 e Dow Jones em alta e Nasdaq no vermelho. Aqui, o setor financeiro foi uma destacada escolha de compras na sessão. Além dos resultados acima das expectativas do Santander Brasil na semana passada, agentes do mercado intensificaram a previsão de que o Banco Central indicará nesta semana compromisso com o ciclo de aperto monetário para segurar a inflação, quando deve anunciar uma nova alta de 0,75 ponto da Selic, para 3,5% ao ano. “Notícias sobre avanço da vacinação estão incentivando as ações de empresas mias ligadas à retomada da economia a partir do segundo semestre”, afirmou Sérgio Zanini, sócio e gestor da Galápagos Capital. As perdedoras do dia foram ações de empresas de commodities, incluindo as gigantes Petrobras e Vale, além das siderúrgicas e de outras grandes exportadoras, como JBS e Suzano, na cola da queda do dólar frente ao real.

REUTERS 

Balança comercial brasileira tem superávit de US $ 10.349 bi em abril

A balança comercial brasileira registrou superávit de 10.349 bilhões de dólares em abril, informou o Ministério da Economia na segunda-feira

O superávit veio abaixo do estimado em pesquisa da Reuters com economistas, que apontava para saldo positivo de 11.404 bilhões de dólares por período. No mês passado, as exportações somaram 26.481 bilhões de dólares, enquanto as importações foram de 16.132 bilhões de dólares. No acumulado do ano, uma balança comercial registra superávit de 18.257 bilhões dólares, ante 8.955 bilhões de dólares no mesmo período de 2020. Em abril do ano passado, uma balança teve superávit comercial de 6.163 bilhões de dólares. No mês passado, a Economia revisou a metodologia adotada na compilação das estatísticas da balança comercial e recalculou com os novos parâmetros os números da sua série histórica, com início em 1997, o que resultou em uma redução de 16,5% do saldo acumulado apurado até 2020. Já para este ano, uma mesma mudança de critérios contribuiu para uma elevação do superávit que havia sido relatado até março.

REUTERS 

Expansão da indústria do Brasil perde força em abril

A indústria brasileira iniciou o segundo trimestre perdendo força, ainda impactada negativamente pelas restrições devido à pandemia de Covid-19, embora tenha registrado aumento do emprego, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês)

Dados divulgados na segunda-feira pelo IHS Markit mostraram que o PMI do setor industrial brasileiro caiu a 52,3 em abril, de 52,8 em março, mas ainda acima da marca de 50, que separa crescimento de contração. Apesar da perda de força, o emprego no setor industrial aumentou no mês, já que algumas empresas buscaram repor funcionários dispensados por causa da pandemia. Outras contrataram por preverem condições econômicas melhores no médio prazo. “Embora os resultados do PMI para abril mostrem mais contrações nas encomendas e da produção no Brasil, as taxas de redução foram mais fracas do que em março. Além disso, as empresas contrataram funcionários e se mostraram mais otimistas em relação ao cenário”, destacou a Diretora Associada do IHS Markit, Pollyanna De Lima. O mês de abril registrou o segundo recuo seguido nas novas encomendas, embora a taxa de contração tenha sido mais fraca do que em março. A pesquisa indica que isso se deveu às restrições pela Covid-19 e a fechamento de empresas, afetando a demanda. Os produtores também evitaram aumentar as compras de insumos no mês passado, em meio a relatos de alta dos preços e de demanda fraca. A escassez de matérias-primas e a fraqueza do real ante o dólar elevaram os preços de insumos, cuja taxa de inflação foi a mais forte desde setembro de 2020. Com isso, as empresas elevaram seus preços de venda no terceiro ritmo mais forte desde que os dados começaram a ser coletados, há 15 anos.

REUTERS

Mercado passa a ver mais crescimento este ano e Selic mais alta em 2022

O mercado passou a ver crescimento econômico mais forte neste ano e taxa básica de juros mais alta em 2022, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central na segunda-feira

O levantamento semanal mostrou que a expectativa agora para a expansão do Produto Interno Bruto em 2021 é de 3,14%, 0,05 ponto percentual a mais do que na semana anterior. Por outro lado, a projeção para o crescimento econômico em 2022 caiu 0,03 ponto, a 2,31%. Já o cenário para a taxa básica de juros Selic ao final deste ano permaneceu em 5,50%, mas para 2022 subiu a 6,25%, de 6,13% anteriormente na mediana das projeções. As contas para a inflação também subiram ligeiramente na pesquisa com uma centena de economistas, indo a 5,04% e 3,61% respectivamente em 2021 e 2022, de 5,01% e 3,60% antes, ambas acima do centro da meta. O centro da meta oficial para a inflação em 2021 é de 3,75% e para 2022 é de 3,50%, sempre com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

REUTERS

IPC-S reduz alta a 0,23% em abril com queda de Transportes, diz FGV

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) passou a subir 0,23% em abril, depois de registrar avanço de 1,00% em março, com o arrefecimento dos preços dos combustíveis reduzindo a pressão no grupo Transportes, informou na segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV)

Os dados mostraram que em abril os preços do setor de Transportes recuaram 0,13%, depois de um salto de 3,89% registrado no mês anterior. A gasolina cedeu 0,62% no período, enquanto os preços do etanol registraram queda de 6,77%, de acordo com a FGV. Em 12 meses, o IPC-S acumula avanço de 6,54%.

REUTERS

FRANGOS & SUÍNOS

Exportação de carne suína cresce 40% em abril

Encerramento do mês mostra China atuante no mercado e casos de Peste Suína Africana no país asiático preocupando o setor local

Segundo informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, divulgadas na segunda-feira (3), as exportações de carne suína fresca, congelada ou resfriada durante este mês de abril superaram em cerca de 40% tanto em faturamento quanto em volume embarcado em relação ao que foi registrado em abril de 2020. Segundo o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o resultado destes embarques continua sendo puxado pela China. A receita obtida com as exportações de carne suína no mês, US$ 217.456, ultrapassou em 41,3% o total obtido em abril de 2020, de US$ 153.964. No volume embarcado, 87.314 toneladas é 38,9% superior ao total exportado em abril do ano passado, com 62.900 toneladas. No comparativo com março, o faturamento em abril foi 10,9%. No volume embarcado, houve redução de 9,8% em abril no comparativo com março deste ano.

O faturamento, na média diária, de US$ 10872, valor 41,24% maior do que em abril de 2020. Em toneladas por média diária, 4.365 ton. houve aumento de 38,81% no comparativo com o mesmo mês de 2020. Já no preço pago por tonelada, US$ 2.490, ele é 1,75% superior ao praticado em abril passado.

AGÊNCIA SAFRAS

Embarques de carne de frango aumentam em 13% em abril

A competitividade da proteína é devida ao câmbio e a retomada de compras por países do Oriente Médio

Segundo informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, divulgadas na segunda-feira (3) os resultados das exportações de carnes de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas neste mês de abril subiram mais de 13% tanto em arrecadação quanto em volume embarcado, em relação a abril de 2020. Para o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, este pode ser considerado “um ótimo desempenho”, mostrando países do Oriente Médio, principalmente a Arábia Saudita, mais ativos nas compras.  A receita obtida com as exportações de carne de frango, US$ 547.964, ultrapassou em 15,3% o total obtido em todo o mês de abril de 2020, que foi de US$ 475.278. O volume embarcado, 362.774 toneladas, foi 13,11% maior que o total exportado em abril do ano passado, de 320.709 toneladas. No comparativo com março, o faturamento abril foi 0,42% inferior. No volume embarcado, houve redução de 1,2% em abril no comparativo com março deste ano. No faturamento a média diária foi de US$ 27.398, 15,29% menor do que em abril do ano passado. Em toneladas, a média diária, ficou em 18.138 toneladas, alta de 13,12% no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Já no preço pago por tonelada, US$ 1510, ele foi 1,92% superior ao praticado em abril do ano passado.

AGÊNCIA SAFRAS 

ABRAFRIGO

imprensaabrafrigo@abrafrigo.com.br

POWERED BY EDITORA ECOCIDADE LTDA 

041 3289 7122

 

abrafrigo

Leave Comment