CLIPPING DA ABRAFRIGO Nº 1471 DE 22 DE ABRIL DE 2021

clipping

Ano 7 | nº 1471| 22 de abril de 2021

 

NOTÍCIAS

Calmaria no mercado do boi gordo

Em SP, os negócios ocorreram compassados na última terça-feira (20/4), véspera de feriado nacional

Em São Paulo, os negócios ocorreram compassados na última terça-feira (20/4), véspera de feriado nacional. A melhora sutil nas ofertas de boiadas e escalas relativamente maiores, atendendo cerca de cinco a seis dias, permitiram a ausência de frigoríficos das negociações na última terça-feira. Segundo levantamento da Scot Consultoria, os preços permanecem estáveis no fechamento da última terça-feira (20/4), com o boi, vaca e novilha gordos negociados, respectivamente, em R$316,00/@, R$291,00/@ e R$306,00/@, preço bruto e a prazo. Na região Noroeste do Paraná, a oferta enxuta de boiada resultou em alta na arroba do boi gordo na última terça-feira (20/4). Incrementos de R$2,00/@ para o boi gordo e R$3,00/@ para vaca e novilha gordas, assim, as cotações estiveram, respectivamente, em R$305,00/@, R$287,00/@ e R$301,00/@, preços brutos e a prazo.

SCOT CONSULTORIA

exportação das carnes nas três primeiras semanas de abril mostram crescimento

Considerados os volumes totais exportados nas três primeiras semanas de abril, com 11 dias úteis – 217,7 mil/t de carne de frango, 74,5 mil/t de carne bovina, 51,8 mil/t de carne suína – observa-se que o aumento anual na média diária embarcada foi de, 50% para a carne suína, de 23,5% para a carne de frango; e de 16,5% para a carne bovina

Houve aumento também nos preços médios, o sinalizado para a totalidade do mês é um incremento de 24%-25% para as carnes bovina e de frango; e de mais de 50% para a carne suína.

AGROLINK

Boi gordo: escalas alongadas

Com programações de abate mais alongadas, em média 6 dias, resultado da melhora sutil nas ofertas de gado na semana anterior, a cotação do boi gordo caiu R$1,00/@ nas praças paulistas no fechamento da última segunda-feira (19/4), na comparação diária

Segundo levantamento da Scot Consultoria, o boi gordo que atende ao mercado interno foi negociado em R$316,00/@, preço bruto e a prazo. As cotações da vaca e novilha gordas mantiveram-se estáveis, em R$291,00/@ e R$306,00/@, respectivamente, nas mesmas condições. Para animais destinados ao mercado externo, as negociações chegaram em R$325,00/@, preço bruto e a prazo. No Sudeste de Rondônia, a boa oferta associada à dificuldade no escoamento de carne resultou em queda de R$1,00/@ para o boi, vaca e novilha gordos. Nessas condições, as cotações do boi gordo, vaca gorda e novilha gorda ficaram, respectivamente, em R$299,00/@, R$288,00/@ e R$289,00/@, preços brutos e a prazo.

SCOT CONSULTORIA 

Oferta aumenta e preço do boi gordo recua para R$ 315 em SP

Em diversos estados é evidenciado aumento na oferta, consequência da menor capacidade de retenção em meio à degradação das pastagens

O mercado físico de boi gordo registrou preços mais baixos na terça-feira, 20, na maioria dos estados produtores. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos desfrutam de uma posição mais confortável em suas escalas de abate e passaram a exercer pressão de maneira mais contundente sobre os pecuaristas. “Em São Paulo, as quedas foram mais pronunciadas. Em diversos estados é evidenciado avanço do volume ofertado, consequência da menor capacidade de retenção em meio à degradação das pastagens. O Mato Grosso ainda destoa desse cenário, com evidências de negociações acima da referência média em muitas praças do estado. Com a previsão de volumes pouco expressivos de chuva a tendência é que a capacidade de retenção se torne cada vez menor, levando ao auge da safra de boi gordo em meados de maio. Na região Norte a previsão é de regime regular de chuvas, mantendo uma boa capacidade de retenção nas próximas semanas”, assinalou. Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou a R$ 315 – R$ 316, ante R$ 317 a arroba. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 300 a arroba, contra R$ 304. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 305, ante R$ 307. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 309 – R$ 310 contra R$ 309. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 310 a arroba, ante R$ 311 – R$ 312. No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Com isso, o corte traseiro permaneceu em R$ 20,65 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 18,00 o quilo, e a ponta de agulha permaneceu em R$ 17,90 o quilo.

AGÊNCIA SAFRAS 

ECONOMIA

Dólar fecha em leve queda de 0,09%, a R$5,5486

O dólar fechou em ligeira baixa nesta terça-feira, com o dia pior nos mercados externos servindo de argumento para uma pausa depois de a moeda cair expressivamente por cinco sessões e fechar na véspera na mínima em um mês

O dólar à vista registrou variação negativa de 0,09%, a 5,5486 reais na venda, novo piso desde 23 de março (5,5168 reais). Na B3, o dólar futuro subia 0,30%, para 5,5665 reais, às 17h13. As cinco quedas anteriores do dólar no Brasil ocorreram na esteira de expectativas de algum desfecho menos heterodoxo para o Orçamento. Na noite de segunda-feira, o Congresso Nacional aprovou um projeto de lei que altera a LDO e traz ajustes, com o aval do governo, para permitir a controversa sanção do Orçamento deste ano. O texto, que abre espaço para a exclusão do teto de gastos de despesas com programas para o enfrentamento à pandemia, seguirá para a sanção do Presidente Jair Bolsonaro, o que permitirá também a sanção do Orçamento, que precisa ocorrer até esta quinta-feira. Para Joaquim Kokudai, gestor na JPP Capital, a solução do Orçamento foi “a possível” e, de alguma forma, eliminou os maiores temores do mercado sobre excessiva flexibilidade fiscal, o que ele vê como endosso a sua posição comprada em real nos fundos que gere. “Os juros estão sendo corrigidos, a atividade está retomando, as vacinas vão acelerar, e o Brasil gera dólares. Não há motivo em termos de fundamento macro para o real estar nesse patamar”, disse.

REUTERS

Ibovespa fecha em queda por realização de lucros com NY

O Ibovespa fechou em queda na terça-feira, com movimento de realização de lucros endossado por Wall Street e Vale entre as maiores pressões de baixa após vendas de minério de ferro no primeiro trimestre aquém das expectativas

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa recuou 0,72%, a 120.061,99 pontos, chegando a perder o patamar dos 120 mil pontos no pior momento. O volume financeiro somou 28 bilhões de reais, em sessão também marcada por alguma cautela diante do feriado no Brasil na quarta-feira, uma vez que a bolsa paulista estará fechada enquanto os mercados no exterior funcionarão. Foi a segunda queda seguida do Ibovespa, após três semanas de valorização, sendo que na última subiu em todos os pregões, ultrapassando os 121 mil pontos. Na visão do analista da Clear Corretora Rafael Ribeiro, o Ibovespa acompanhou o dia de realização de lucros pelo mundo, tanto do lado das bolsas de valores, como das commodities, algo natural depois de recordes em alguns ativos. No exterior, Wall Street fechou em queda pelo segundo dia consecutivo, após o S&P 500 e o Dow Jones renovarem máximas histórica, com um aumento global nos casos de coronavírus atingindo papéis relacionados a viagens.

REUTERS

Brasil deve ultrapassar teto de gastos em 2% do PIB este ano, diz Citi

O Brasil está a caminho de furar seu teto de gastos em 2% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, alertaram economistas do Citi na terça-feira, prevendo que o governo vai flexibilizar seguindo sua política fiscal para enfrentar uma pandemia de Covid-19

O teto limita o crescimento dos gastos públicos à taxa de contribuição do ano anterior e é visto como regra fiscal mais importante do governo, ancorando a confiança em seu compromisso de longo prazo com a redução da dívida e do déficit. Autoridades do governo têm insistido que o limite não será desrespeitado, mas os temores fiscais dos investidores aumentaram fortemente os prêmios de risco dos ativos brasileiros, implementado em uma curva de juros íngreme e uma taxa de câmbio fraca. Em nota intitulada ‘Prepare-se, mais flexibilização fiscal está chegando’, economistas do Citi disseram que agora paga que o governo brasileiro ultrapasse o teto de gastos em 158 bilhões de reais, o equivalente a 2% do PIB. A previsão era anterior de uma violação de 1% do PIB. Esse valor será composto principalmente por 71 bilhões de reais em medidas não recorrentes extrateto, como pagamentos emergenciais em dinheiro à população e vacinas, e 62 bilhões de reais em ajuda para Estados, programas de proteção de empregos e crédito.

REUTERS

Arrecadação federal cresce 18,5% em março e é recorde para o mês, diz Receita

A arrecadação federal registrou crescimento real de 18,5% em março sobre o mesmo mês do ano passado, somando 137,9 bilhões de reais, maior valor para o mês da série da Receita Federal, que tem início em 2007, mostraram dados divulgados na terça-feira

O resultado veio acima da expectativa de arrecadação de 126,2 bilhões de reais, segundo pesquisa Reuters com analistas. No acumulado dos três primeiros meses do ano, a arrecadação avançou 5,64% em termos reais, a 445,9 bilhões de reais, valor também recorde para o período.

REUTERS

FGV: aumento de 1,4% no PIB mostra que economia continua a crescer

PIB do primeiro bimestre de 2021 foi de R$ 1,367 trilhão

O Monitor do Produto Interno Bruto (PIB), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), indicou crescimento de 1,4% na atividade econômica em fevereiro, em comparação a janeiro. No trimestre móvel terminado em fevereiro, houve expansão de 2,9%, em relação ao período encerrado em novembro. Na comparação interanual, a economia cresceu 1,6% em fevereiro e 0,7% no trimestre móvel terminado em fevereiro. Segundo o coordenador do Monitor do PIB-FGV, Claudio Considera, o crescimento de 1,4% da economia em fevereiro em relação a janeiro mostra continuidade na recuperação da economia. De acordo com o pesquisador, dentre as três grandes atividades econômicas (agropecuária, indústria e serviços), apenas a indústria apresentou pequena retração de 0,4% em fevereiro, enquanto os serviços cresceram 1,4% influenciado pelo desempenho dos serviços de informação (5,3%) e intermediação financeira (7%). O consumo das famílias retraiu 3% no trimestre móvel findo em fevereiro em comparação ao mesmo período do ano passado. A formação bruta de capital fixo (investimentos) cresceu 19,5% no trimestre móvel terminado em fevereiro, em comparação ao mesmo período do ano passado. A exportação contraiu 3,1% no trimestre móvel findo em fevereiro, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os segmentos exportados que retraíram no ano foram os de produtos agropecuários, com recuo expressivo de 24,3% no trimestre, os serviços e os produtos da extrativa mineral.

AGÊNCIA BRASIL 

FRANGOS & SUÍNOS

As importações de carne suína da China sobem para recorde com o ressurgimento da peste suína

As importações de carne suína da China saltaram para um recorde histórico em março devido às preocupações com a oferta, após o ressurgimento da peste suína africana no maior consumidor e produtor mundial

As remessas de entrada aumentaram 16% em relação ao ano anterior para 460.000 toneladas, impulsionando as importações gerais de carne para um recorde também, de acordo com dados alfandegários de domingo. As compras no primeiro trimestre avançaram 22%, para 1,16 milhão de toneladas, mostraram os dados. Os rebanhos de suínos poderiam ter contraído até 30% em novembro, disse Pan Chenjun, analista sênior de gado do Rabobank, à medida que doenças de inverno, incluindo novas cepas de peste suína africana, atingiam as fazendas do país. Os estoques de suínos podem estar atualmente de 60% a 70% do normal, estima Pan. De acordo com o National Bureau of Statistics, o estoque de suínos do país totalizou 415,95 milhões no final de março, cerca de 30% a mais que no ano anterior. Isso se compara com 411 milhões de suínos no final do primeiro trimestre de 2017, indicando que os números se recuperaram aos níveis anteriores ao surto da doença mortal suína em 2018, mostram os dados do bureau. As importações, impulsionadas em parte pelas compras do estado, permanecerão fortes em maio, já que os traders antecipam uma recuperação nos preços domésticos da carne suína, que têm caído recentemente em parte como resultado da venda de fazendas de suínos, disse Lin Guofa, analista sênior do Bric Agriculture Group.

Bloomberg

Alemanha registra 1.000 casos de PSA enquanto a luta contra o vírus se arrasta

O surto mortal de Peste Suína Africana na Alemanha atingiu mais de 1.000 casos, atrasando seu retorno como grande exportador de carne, já que a batalha para erradicar o vírus persiste

A contagem crescente arrisca manter as exportações do maior produtor de carne suína da União Europeia, beneficiando outros vendedores no bloco e nas Américas. Compradores de carne como Vietnã e Cingapura abrandaram as proibições iniciais ao fornecimento alemão, mas a proibição do principal importador, a China, está limitando as vantagens. É improvável que Pequim o retire antes de meados do ano, no mínimo, de acordo com um relatório do Rabobank de março. Estima-se que 1.016 javalis no leste da Alemanha – embora não haja porcos nas fazendas – contraíram a peste suína africana desde um relatório inicial no outono passado, mostram os números dos estados afetados de Brandemburgo e Saxônia. O surto parece improvável que termine logo, com infecções ainda abundantes na vizinha Polônia. “Todas as semanas temos vários novos casos, está longe de estar sob controle”, disse Tim Koch, analista de gado da AMI. “Alguns países terceiros estão abrindo suas fronteiras para a carne de porco alemã, mas são números comparativamente baixos. A China importou mais carne no ano passado do que todos os outros países juntos”.

Bloomberg

INTERNACIONAL

Argentina estabelece registros para exportar carne; produtores temem cotas

A Argentina restabeleceu registros de exportação de carnes na terça-feira, um sistema que anos atrás gerado atrito com os produtores de cortes bovinos, que o consideravam uma forma de limitar os embarques

O país é um dos maiores fornecedores mundiais de carnes e grãos, mas a alta de alimentos pode gerar riscos para os produtores, que pretendem exportar, enquanto alguns governos buscam garantir o produto para o mercado interno a preços razoáveis. “É preciso estabelecer um sistema de registro de vendas externas que permite o estabelecimento de políticas públicas que visem evitar possíveis desequilíbrios no mercado interno de carnes em termos de oferta, preço e qualidade”, disse a resolução publicada na terça-feira no Diário Oficial da União. “A Comissão de Articulação das entidades agrícolas expressa o seu rechaço mais absoluto à reintegração do Registro de Exportações, neste caso para as carnes, e outras medidas intervencionistas”, afirmaram as principais associações de produtores do país. “Por trás dessas medidas esconde-se a visão equivocada de que a alta generalizada dos preços responde ao fato de o mercado de alimentos apresentando tensões entre as exportações e o mercado interno”, adaptaram em comunicado.

REUTERS

Swift, da JBS, decide construir em Columbia sua nova fábrica de US$ 200 milhões nos EUA

Unidade produzirá “especialidades italianas” como salame e presunto

A Swift Prepared Foods, controlada pela JBS, informou ontem que o investimento de US$ 200 milhões em uma fábrica de especialidades italianas como salame e presunto nos EUA, anunciado em fevereiro, será em Columbia, no Estado de Missouri. A nova planta da empresa — que foi adquirida pela JBS em 2017 — empregará cerca de 250 pessoas. Segundo a Swift, a decisão de construir a planta em Columbia foi tomada devido à localização estratégica, ao ambiente favorável aos negócios e à capacidade de acessar matéria-prima e aproveitar sinergias com ativos estratégicos já existentes.

VALOR ECONÔMICO 

ABRAFRIGO

imprensaabrafrigo@abrafrigo.com.br

POWERED BY EDITORA ECOCIDADE LTDA 

041 3289 7122

 

abrafrigo

Leave Comment