CLIPPING DA ABRAFRIGO Nº 1407 DE 21 DE JANEIRO DE 2021

abra

Ano 7 | nº 1407| 21 de janeiro de 2021

 

NOTÍCIAS

Oferta restrita do boi gordo deve impactar preços da arroba até março

Nesta quarta, os valores do boi gordo registraram nova alta em São Paulo, passando de R$ 293 para R$ 295

O mercado físico do boi gordo do Brasil voltou a apresentar avanços nas cotações na quarta-feira, 20. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o ambiente de negócios pouco mudou, com os frigoríficos ainda encontrando dificuldades na composição de suas escalas de abate, posicionadas entre três e quatro dias úteis. Iglesias indica que a oferta de animais terminados tende a permanecer restrita até meados de março, quando os animais de pasto estarão próximos do peso ideal para abate. “De qualquer forma, são ao menos mais 40 dias de um ambiente bastante complicado em relação à oferta. O consumo doméstico segue como um importante limitador de movimentos mais agressivos de alta, uma vez que o brasileiro médio está descapitalizado”, reitera. Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou a R$ 294/295, contra R$ 293 a arroba na terça. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 290, no comparativo com R$ 285 do dia anterior. Em Dourados (MS), a arroba passou de R$ 280 para R$ 285. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 278 estável. Em Uberaba, Minas Gerais, o valor chegou a R$ 288 contra R$ 285. O mercado atacadista segue com preços acomodados ao longo da semana. No entanto, há pouco espaço para reajustes no curto prazo, em linha com a situação do consumidor final, descapitalizado neste momento. Em linhas gerais o consumidor médio não consegue absorver tantos reajustes. Esse tipo de cenário remete a uma maior demanda por proteínas que causem um menor impacto na renda média, nesse caso em específico a carne de frango segue como a principal beneficiada, diz Fernando Henrique Iglesias. O corte traseiro foi precificado a R$ 20,80, por quilo. Ponta de agulha segue no patamar de R$ 15,50, por quilo. Corte dianteiro também foi cotado a R$ 15,50, por quilo.

AGÊNCIA SAFRAS

Oferta enxuta no mercado do boi gordo

Cotações dos bovinos para abate subiram na última quarta-feira (20/1) na comparação com o dia anterior

Em São Paulo, as cotações dos bovinos para abate subiram na última quarta-feira (20/1) na comparação com o dia anterior, com a escassez de oferta ditando o ritmo do mercado. Segundo levantamento da Scot Consultoria, o boi gordo ficou cotado em R$293,00/@, preço bruto e a prazo, incremento de R$3,00/@ no comparativo diário. Para as fêmeas, o reajuste diário foi de R$5,00/@, sendo a vaca gorda e a novilha gorda negociadas, respectivamente, em R$277,00/@ e R$280,00/@, preços brutos e a prazo. Animais que atendem às exportações foram negociados entre R$295,00/@ até R$300,00/@.

SCOT CONSULTORIA 

Exportações de carne bovina até a segunda semana de janeiro/21

O Brasil exportou em janeiro/21, até a segunda semana, em média, 6,05 mil toneladas de carne bovina in natura por dia (Secex) 

Na comparação com a primeira semana do mês, quando foi exportado, em média 8,13 mil toneladas por dia, houve queda de 25,6% nos embarques diários. Apesar da desaceleração em relação ao começo do mês, o volume médio diário embarcado foi 13,8% maior que a média de janeiro de 2020 (5,32 mil toneladas/dia).

SCOT CONSULTORIA

Arroba do boi já subiu mais de 9% em 2021 e se aproxima dos R$ 300

Analista diz que falta de oferta tem elevado os preços e é possível que o valor de R$ 300 seja alcançado nos próximos dias

A cotação do boi gordo no indicador Cepea registrou um novo recorde, sendo negociada acima de R$ 292 e, segundo analistas, esse valor pode passar dos R$ 300 nas próximas semanas. O valor registrado pelo Cepea é o maior da série histórica e, levando em conta o acumulado de 2021, a cotação registra alta de quase 9,5%. Em um ano, a valorização é de 51,79%. “Talvez os R$ 300 possam chegar nos próximos dias. A gente tem que ficar de olho como vai ser o comportamento da demanda interna que está um pouco cambaleando, carcaça casada do boi no atacado está sofrendo para conseguir valorização porque os consumidores não estão aguentando pagar muito mais, então tem que ver o comportamento da demanda geral e a oferta continua bem escassa e isso pontua para uma possível alta chegando talvez nos R$ 300 reais no Indicador Cepea”, comentou o analista de mercado da Agriffato, Yago Tavagini. De acordo com Leandro Bovo, sócio-diretor Radar Investimentos, a oferta de gado é muito pequena e isso deixa o mercado desabastecido e os preços acabam subindo. “O tão sonhado R$ 300 reais por arroba aconteceu no início de dezembro e agora voltou a acontecer em janeiro, não foram muitos lotes negociados e a expectativa é que o mercado siga firme, porque a gente não tem expectativa de melhora de oferta no mercado no curto prazo apesar da demanda ser muito ruim em janeiro a pouca oferta tem suplantado essa dificuldade com a demanda e dando sustentação aos preços”, falou.

CANAL RURAL

ECONOMIA

Dólar cai ante real com otimismo sobre estímulos globais

O dólar terminou em baixa na quarta-feira, com o real surfando nos ganhos de moedas emergentes e outros ativos de risco, uma vez que a posse de Joe Biden como Presidente dos Estados Unidos direciona o mercado para expectativas de mais estímulos

O dólar à vista caiu 0,66%, a 5,3108 reais na venda, depois de oscilar entre 5,3574 reais (+0,21%) e 5,2834 reais (-1,17%). O democrata Joe Biden tomou posse como presidente dos EUA nesta quarta-feira, prometendo acabar com a “guerra incivil” em um país com profundas divisões políticas, economia abalada e uma pandemia de coronavírus que matou mais de 400 mil norte-americanos. Há expectativa de que Biden apresente ao Congresso, ainda nos primeiros dias de governo, sua proposta para um pacote fiscal de 1,9 trilhão de dólares. Mais estímulos significam mais liquidez que pode migrar para mercados de maior risco, como o Brasil, estimulando entrada de dólares e potencialmente baixando o preço da moeda. O mercado segue às voltas com temores de criação de novas despesas, uma vez que a percepção de que a imunização contra a Covid-19 no Brasil será lenta e sujeita a reveses eleva receios quanto à força da recuperação da economia –o que poderia aumentar pressões por mais gastos fiscais. “A equipe econômica vai ter muito trabalho para não deixar explodir a panela de pressão das demandas por mais auxílio emergencial”, disse Marcos Mollica, gestor de fundos multimercados do Opportunity. “A popularidade do Presidente da República em queda em meio ao crescimento exponencial da Covid-19, vacinação lenta e desemprego alto criam ambiente político difícil para a ala fiscalista”, finalizou.

Reuters 

Ibovespa descola de NY e fecha abaixo de 120 mil pontos

O IBOVESPA fechou em queda pelo segundo pregão seguido na quarta-feira, mais uma vez descolado de Wall Street, em meio a um cenário de ruídos fiscais e políticos no Brasil, bem como números ainda preocupantes sobre a pandemia de Covid-19

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,74%, a 119.742,49 pontos, de acordo com dados preliminares, tendo chegado a 118.739,87 pontos no pior momento. O volume financeiro somava 25,765 bilhões de reais.

Reuters 

Copom prepara terreno para começar a normalização do juro

Pelas projeções de inflação, aumento das taxas deve ocorrer entre junho e agosto, levando a meta da taxa Selic para 3,25% ao fim do ano

O Banco Central (BC) derrubou a promessa de não subir os juros – o chamado “forward guidance” – e agora a questão imediata é quando poderá reapertar a política monetária. Pelas projeções de inflação, isso deve ocorrer entre junho e agosto, levando a meta da taxa Selic para 3,25% ao fim do ano. O comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC mandou uma mensagem mais ou menos direta de que os juros não vão ficar por tempo indefinido em 2% ao ano. Até dezembro, o comunicado dizia que, dadas as incertezas sobre a evolução da atividade, era preciso manter o estímulo monetário extraordinário. Agora, diz que “neste momento” é preciso manter o estímulo.

VALOR ECONÔMICO

IPC registra alta de 0,86% na segunda semana de janeiro

Alimentos tiveram alta de 1,98% no período

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) na cidade de São Paulo, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou alta de 0,86% na segunda semana de janeiro. A inflação da alimentação teve uma elevação de 1,98% no período. Os produtos in natura tiveram uma alta de 5,77%, puxados por alimentos como a banana (8,87%) e o tomate (18,14%). A alimentação fora do domicílio registrou aumento de 1,09% nos preços. Os gastos com habitação apresentaram uma inflação de 0,8% no período e a energia elétrica subiu 5,26%. As despesas com educação registraram alta de 1,07%, com elevação de 4,61% dos custos com educação infantil. Em saúde, os gastos tiveram elevação de 0,76%. Os contratos de assistência médica apresentaram uma alta de 0,97%. Os transportes registram uma inflação de 0,74%. O preço do etanol teve alta de 1,9% no período e o da gasolina de 1,23%.

Agência Brasil

EMPRESAS

JBS do Brasil diz que China suspendeu proibições relacionadas à pandemia em duas fábricas de carne

O frigorífico brasileiro JBS SA disse na quarta-feira que a China suspendeu as proibições de duas fábricas de carne impostas em 2020 por causa de preocupações com o coronavírus

A empresa disse em nota que o levantamento das proibições elevou para 25 o número total de fábricas da JBS no Brasil autorizadas a vender carne para a China. A JBS disse que nenhuma outra de suas fábricas brasileiras é atualmente restrita pela China, o maior comprador das exportações de carne do Brasil. As proibições foram levantadas em relação a duas fábricas da JBS no estado do Rio Grande do Sul, no sul do Brasil. Uma fica em Três Passos e a outra em Passo Fundo, onde a empresa produz suínos e derivados de frango, respectivamente. Ambas as fábricas enfrentaram surtos do novo coronavírus entre os funcionários no ano passado, levando a interrupções na produção e, por fim, à suspensão chinesa.

Reuters

Conselho da JBS aprova procedimento arbitral contra irmãos Batista e a J&F

Caso vençam a ação, os acionistas da JBS que a moveram poderão receber um valor bilionário

O Conselho de Administração da JBS acatou a recomendação do Comitê Independente para instaurar um procedimento arbitral contra a J&F Investimentos e os irmãos Joesley Batista, Presidente do Conselho da JBS até 2017, e Wesley Batista, CEO à época. O comitê é coordenado por Gilberto Xandó. Também serão partes Florisvaldo Caetano de Oliveira, ex-conselheiro fiscal, e Francisco de Assis e Silva, então diretor jurídico da JBS. A medida foi aprovada em assembleia de acionistas da companhia.

VALOR ECONÔMICO 

Marfrig cria Diretoria de Saúde Ocupacional, reforça cuidado com colaboradores

A Marfrig anunciou na quarta-feira (20) a criação da Diretoria de Saúde Ocupacional, composta por uma equipe com 43 profissionais espalhados pelo Brasil. Segundo a empresa, todas as unidades terão o atendimento ambulatorial ampliado para oito horas

A gestão da área está a cargo de Altemir Ferro Corrêa, especialista em Medicina do Trabalho pela Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt/AMB) e colaborador da empresa há quatro anos. A equipe é composta por 25 médicos, 4 enfermeiros e 14 ergonomistas, distribuídos nas unidades da empresa. De acordo com Corrêa, o principal objetivo é ampliar os serviços de atendimento ambulatorial nas 13 unidades da Marfrig e reforçar os cuidados com os colaboradores na gestão assistencial e ocupacional com maior agilidade e autonomia. “A saúde dos nossos colaboradores é prioridade. Vamos aprimorar a área e investir em tecnologia, pessoas e em infraestrutura para melhor atender os nossos colaboradores”, disse o executivo em nota.

CARNETEC 

FRANGOS & SUÍNOS

Unidade da Aurora em Chapecó volta a receber autorização para exportar carne suína à China

Suspensão tinha sido anunciada no início deste mês

A China anunciou que a planta da Aurora Alimentos em Chapecó (SC) foi reabilitada a exportar carne suína ao país. A notícia foi publicada no site do governo local e confirmada pela empresa. A suspensão tinha sido anunciada no início deste mês. Na ocasião, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) disse que estava atuando junto à cooperativa e ao Ministério da Agricultura para garantir esclarecimentos adicionais aos chineses referentes às práticas de segurança e aos “rígidos protocolos setoriais” durante a pandemia da Covid-19″.

ESTADÃO CONTEÚDO

Alemanha encontra mais 30 casos de peste suína africana em javalis

Outros 30 casos de peste suína africana (FSA) foram encontrados em javalis no leste da Alemanha, disseram autoridades na quarta-feira, em um surto contínuo entre animais selvagens que interrompeu as exportações de carne suína alemã para a Ásia

Os novos casos ocorreram no estado de Brandenburg, no leste, e elevam o número de casos confirmados da doença em javalis para 527 no estado, disse o ministério da saúde de Brandenburg. Junto com 17 casos na região oriental da Saxônia, isso eleva o total de casos relatados na Alemanha para 544. Todos estavam em animais selvagens sem porcos afetados. Mas dois dos 30 novos casos relatados foram encontrados a cerca de 2 km (1,2 milhas) fora da zona central, onde outros casos foram encontrados, disse o ministério de Brandemburgo. Cercas elétricas estão sendo construídas em torno da área das últimas descobertas. China, Coreia do Sul e Japão proibiram as importações de carne suína alemã em setembro de 2020, depois que o ASF foi encontrado em javalis no leste da Alemanha. O governo alemão disse em dezembro que está continuando conversas intensivas com a China sobre o relaxamento das proibições de importação de carne suína alemã impostas após a descoberta de ASF no país. Os preços dos suínos alemães permaneceram estáveis esta semana em 1,19 euro o quilo, um nível que se manteve desde meados de novembro, disse a associação de criadores de animais alemães VEZG na quarta-feira. Outros países da União Europeia expandiram as exportações de carne suína para a Ásia para substituir os suprimentos alemães, abrindo oportunidades de vendas para a Alemanha dentro da Europa. Os aumentos nos preços dos suínos foram limitados pela redução da capacidade nos matadouros alemães, à medida que implementam mudanças de saúde e segurança para atender aos padrões mais elevados após vários surtos de COVID-19 em frigoríficos.

REUTERS 

INTERNACIONAL

Produção de carne bovina da Argentina deve cair em 2,3% em 2021

De acordo com os últimos relatórios de previsão do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção de carne bovina da Argentina em 2021 seria reduzida em cerca de 2,3% para 3,13 milhões toneladas

A queda na produção seria menor do que a prevista pelo USDA em seu relatório anterior, de outubro, quando se considerava que a redução seria de 3,4%, informa Rosgan. Essa melhora se deve ao maior consumo interno, que será estimado em 2,37 milhões de toneladas.

Eurocarne 

ABRAFRIGO

imprensaabrafrigo@abrafrigo.com.br

POWERED BY EDITORA ECOCIDADE LTDA 

041 3088 8124 

https://www.facebook.com/abrafrigo/

abrafrigo

Leave Comment