CLIPPING DA ABRAFRIGO Nº 1179 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2020

abra

Ano 6 | nº 1179| 18 de fevereiro de 2020


NOTÍCIAS

Boi gordo: mercado calmo no início da semana

Após a valorização no preço da arroba do boi gordo na última semana, o mercado iniciou calmo esta semana. Apesar disso, a oferta de boiadas continua limitada

No mercado atacadista de carne bovina com osso, a cotação do boi casado de animais castrados caiu 1,3% na comparação com a última semana e ficou cotado em R$13,24/kg (17/2). Entretanto, em relação ao início do mês, a cotação do produto subiu 8,3%. Para o curto prazo, a oferta de boiadas restrita e a expectativa de melhora do consumo devido ao Carnaval podem fazer com que o volume de negócios melhore.

SCOT CONSULTORIA

Bovinos vivos: exportação recuou em janeiro

As exportações brasileiras de bovinos vivos diminuíram em janeiro deste ano na comparação com dezembro de 2019

Foram embarcadas 22,6 mil cabeças no primeiro mês de 2020, frente as 23,5 mil cabeças em dezembro do ano passado e as 32,8 mil cabeças exportadas em janeiro de 2019. Os principais destinos em janeiro de 2020 foram: Iraque (29,5%), Turquia (29,0%) e Egito (20,8%), em ordem de importância. O principal volume exportado saiu do Rio Grande do Sul (40,4%), seguido pelo Pará (29,9%).

SCOT CONSULTORIA

Boas condições das pastagens favorecem preços do boi gordo

A pressão de alta tende a diminuir na segunda quinzena do mês diante da natural queda no consumo de carne bovina

O mercado físico do boi gordo segue com preços firmes. O analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, avalia que a pressão de alta tende a arrefecer agora na segunda quinzena do mês diante da natural queda no consumo de carne bovina. “Ao mesmo tempo, a oferta de animais permanece restrita, com as pastagens em boas condições permitindo ao pecuarista manter o gado por mais tempo no processo de engorda”, assinalou Iglesias.

Em São Paulo, Capital, os preços do mercado à vista permanecem em R$ 204 a arroba. Em Minas Gerais, preços em R$ 196 a arroba, em Uberaba, com alta diária de um real. No Mato Grosso do Sul, os preços subiram para de R$ 194 a arroba para R$ 195, em Dourados. Em Goiás, o preço indicado ficou em R$ 195 a arroba, em Goiânia, estável. Já em Cuiabá, no Mato Grosso, o preço passou de R$ 179 a arroba para R$ 183 a arroba. No atacado, os preços da carne bovina ficaram estáveis. “Há pouco espaço para os preços continuarem subindo na segunda metade do mês com a reposição entre atacado e varejo ficando mais lenta. O consumidor final não tem como absorver novos aumentos nos preços da carne bovina”, analisou Iglesias. O corte traseiro seguiu em R$ 14,65 o quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 11,95 por quilo. Já o corte dianteiro R$ 12,70 por quilo.

AGÊNCIA SAFRAS

ECONOMIA

Dólar fecha em alta e colado em R$4,33

O dólar começou a semana em alta ante o real, devolvendo quase toda a queda da sessão anterior e retomando nível perto de 4,33 reais, em dia sem a referência dos mercados norte-americanos, sem injeção de liquidez pelo Banco Central

O mercado ainda tem na memória a greve dos caminhoneiros de 2018. A paralisação de mais de dez dias só terminou após o governo atender a uma série de demandas, inclusive redução no preço do combustível, gerando elevado custo fiscal e impactando visivelmente a economia. O dólar à vista fechou em alta 0,66%, a 4,3295 reais na venda. Na sexta, a moeda havia recuado 0,79%. Na B3, o dólar futuro de maior liquidez tinha alta de 0,69%, a 4,3300 reais. O real tinha o pior desempenho entre as principais moedas globais nesta sessão, em sessão na qual o Banco Central fez apenas a rolagem de 13 mil contratos de swap cambial. Nos dois pregões anteriores, a moeda brasileira esteve na ponta positiva após o BC vender 2 bilhões de dólares em contratos de swap cambial tradicional. A oferta líquida desses ativos —que, na prática, funcionam como injeção de liquidez no mercado— não ocorria desde agosto de 2018.

A alta do dólar ocorreu ainda com menor liquidez de investidores estrangeiros, mais à parte do mercado numa segunda-feira sem negócios em Wall Street pelo feriado do Dia dos Presidentes.

REUTERS

Sem NY, Ibovespa fecha em alta com ajuda de Vale

O Ibovespa fechou em alta nesta segunda-feira, tendo Magazine Luiza entre os destaques positivos após resultado trimestral, com o noticiário corporativo doméstico ocupando o foco das atenções em um pregão sem a referência de Wall Street

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,81%, a 115.309,08 pontos. O giro financeiro somou 26,4 bilhões de reais, ajudado pelo vencimento dos contratos de opções sobre ações, de 8,47 bilhões de reais. Medidas de liquidez na China também ajudaram na alta das ações, segundo o analista Ilan Arbetman, da Ativa Investimentos, referindo-se à decisão do banco central chinês de cortar juros sobre empréstimos de médio prazo. A medida deve abrir caminho para redução na taxa primária de empréstimo na quinta-feira, conforme o país tenta reduzir os efeitos econômicos da epidemia de coronavírus. “Isso significa liquidez no mercado chinês, que se espalha para outros mercados emergentes”, afirmou Arbetman, explicando que isso motiva investidores a tomar mais risco. Ele, contudo, não vê fim da volatilidade nos negócios, citando que está cada vez mais difícil fazer previsões sobre o efeito do coronavírus no PIB da China no primeiro trimestre.

REUTERS

Mercado reduz expectativa para PIB em 2020, mostra Focus;

O mercado voltou a reduzir a expectativa para o crescimento da economia em 2020, bem como para a inflação, enquanto o grupo dos que mais acertam as previsões no Focus passou a ver patamar mais baixo para os juros em 2021

A pesquisa realizada pelo BC mostrou na segunda-feira que a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano caiu a 2,23%, de 2,30% na semana anterior. Para 2021, permanece a conta de uma expansão de 2,50%. O levantamento semanal apontou ainda que a expectativa para a alta do IPCA passou a 3,22% em 2020, 0,03 ponto percentual a menos do que no anterior, indo a 3,75% em 2021. O centro da meta oficial de 2020 é de 4% e, de 2021, de 3,75%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. O Banco Central indicou divergência entre os membros do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre o nível de ociosidade na economia, e apontou que, diante de “múltiplas incertezas” envolvendo este e outros fatores, quer ter melhor compreensão do cenário para definir os próximos passos para os juros básicos. A pesquisa com uma centena de economistas mostrou ainda que a taxa básica de juros deve terminar este ano no atual patamar de 4,25%, indo a 6,0% no ano que vem, sem alterações.

REUTERS

Estrangeiros retiraram R$ 419 milhões da bolsa na última quinta

No acumulado do ano, o saldo negativo no segmento secundário de ações já soma R$ 25,7 bilhões

Os investidores estrangeiros sacaram liquidamente R$ 419 milhões do segmento secundário (ações já listadas) na última quinta-feira, 13 de fevereiro, segundo dados divulgados pela B3. Naquele pregão, o Ibovespa fechou em baixa de 0,87%, aos 115.662 pontos, afetado pelo clima de maior cautela no exterior após a mudança de metodologia na apuração dos casos de coronavírus. No acumulado do mês, o saldo está negativo em R$ 6,7 bilhões, resultado de R$ 121,6 bilhões em compras de ações e R$ 128,3 bilhões em vendas. No ano, o saldo negativo já soma R$ 25,7 bilhões. No mercado primário (ofertas de ações), os estrangeiros registraram um aporte de R$ 853,4 milhões em janeiro deste ano, também conforme os dados informados na segunda-feira pela B3. Com a retirada recente do segmento secundário, o fluxo total de recursos externos (mercado primário e secundário) fica negativo em R$ 25 bilhões no acumulado do ano, considerando dados contabilizados até quinta-feira e sem as informações atualizadas de fevereiro para o mercado primário.

VALOR ECONÔMICO

FRANGOS & SUÍNOS

Arábia Saudita suspende 2 unidades de frango da BRF no Paraná

A BRF comunicou nesta segunda-feira que o serviço sanitário da Arábia Saudita suspendeu temporariamente dois estabelecimentos da companhia para exportação de carne de frango ao país, enquanto aguarda mais informações sobre supostas violações cometidas pela empresa na produção de ração e premix

“A SFDA informa que a medida é temporária e solicita às autoridades brasileiras, entre outros, mais detalhes acerca das investigações conduzidas entre 2014 e 2018 sobre supostas violações cometidas pela companhia na produção de ração e premix, preparado contendo vitaminas e aminoácidos”, disse a BRF, citando que tomou conhecimento da nota oficial da Saudi Food and Drug Authority (SFDA) sobre a suspensão na véspera. Em comunicado ao mercado, a companhia informou que a medida atinge as unidades de Dois Vizinhos e Francisco Beltrão, ambas no Paraná, sendo que apenas a primeira vinha exportando para a Arábia Saudita, com um volume de aproximadamente 6 mil toneladas/mês. “A companhia já iniciou os ajustes de redirecionamento de produção para suas demais plantas até que os fatos sejam devidamente esclarecidos, possuindo ainda cinco plantas habilitadas para a Arábia Saudita. As plantas de Dois Vizinhos e Francisco Beltrão serão utilizadas, a partir deste momento, para atendimento de outros mercados”, afirmou. A BRF também reiterou que tem cooperado irrestrita e continuamente com as autoridades brasileiras e internacionais na elucidação dos supostos fatos e não tolera quaisquer desvios de qualidade e integridade em seu processo produtivo. “Dessa forma, intensificou e expandiu sua estrutura de controles internos, compliance e qualidade nos últimos anos com o intuito de garantir estrita aderência a toda e qualquer legislação sanitária mundial.”

REUTERS

Abate de suínos chega a 11,87 milhões de cabeças

Na relação com 3° trimestre de 2019, o aumento foi de 1,5%

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou na quinta-feira (13/02) os primeiros resultados da produção animal no 4º trimestre de 2019 o abate de suínos somou 11,87 milhões de cabeças no 4º trimestre de 2019, um aumento de 6,1% em comparação com 4° trimestre de 2018. Na relação com 3° trimestre de 2019, o aumento foi de 1,5%. O peso acumulado das carcaças registrou 1,06 milhão de toneladas no 4º trimestre de 2019, o que consistiu em aumentos de 7,8% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior e de 0,4% em relação ao 3° trimestre de 2019.

SUINOCULTURA INDUSTRIAL

INTERNACIONAL

Austrália com excelente colocação de carne na China e no Japão em janeiro

Para a exportação de carne vermelha da Austrália, janeiro foi um ótimo mês

Segundo dados da Meat & Livestock Australia, apesar das incertezas geradas pela possível escassez de animais para abate e a evolução do coronavírus na China, o país colocou 21.000 toneladas no gigante asiático e 18.000 no Japão. Segundo o portal Eurocarne, ambos eram os principais mercados da carne vermelha australiana. No caso da China, após a conclusão das comemorações do Ano Novo Lunar, o MLA observa alguma incerteza sobre como a demanda desse país responderá. Também aponta para uma queda no preço da carne bovina australiana no mercado dos EUA, o que pode indicar que há uma demanda menor na China e o redirecionamento nas vendas das empresas australianas de carne.

Meat & Livestock Australia

Maiores informações:

ABRAFRIGO

imprensaabrafrigo@abrafrigo.com.br

Powered by Editora Ecocidade LTDA

041 3088 8124

https://www.facebook.com/abrafrigo/

 

abrafrigo

Leave Comment