CLIPPING DA ABRAFRIGO Nº 965 DE 03 DE ABRIL DE 2019

abra

Ano 5 | nº 965 | 03 de abril de 2019

NOTÍCIAS

Maior preço nominal da arroba do boi em São Paulo dos últimos 33 meses

A associação entre oferta limitada e escalas enxutas mantêm o mercado do boi gordo com os preços sustentados

Este é o cenário da maioria das regiões pesquisadas pela Scot Consultoria. Com o recebimento dos salários, que ocorrerá, em sua maioria, na sexta-feira (5/4), a tendência é de que o escoamento de carne aumente, e com a programação de abate apertada, as indústrias saem às compras com mais apetite para reabastecer o estoque e conseguir atender a demanda. As pastagens em boas condições permitem que os pecuaristas sigam ofertando de maneira compassada e vendendo aos poucos, aguardando por preços melhores. Em São Paulo, a cotação do boi gordo está em R$160,50/@, a prazo, considerando o preço bruto (com Funrural e Senar). Esta é a maior cotação para a região desde junho de 2016, porém, vale ressaltar que esta referência considera o preço nominal. Para o preço deflacionado, a arroba do boi gordo está no maior patamar desde fevereiro de 2018, em São Paulo.

Scot Consultoria

Ministra cria comitê para formatar PL do autocontrole

O Ministério da Agricultura implementou na terça-feira um comitê formado por fiscais da Pasta e pelo setor privado com o intuito de ajustar o texto final do projeto de lei que pretende ampliar o autocontrole em agroindústrias de alimentos

Segmentos como os de carnes e de lácteos já adotam práticas de autocontrole em seus estabelecimentos industriais, que incluem menor frequência de fiscalização e maior responsabilidade das empresas na garantia de qualidade de seus produtos. Para a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, casos recentes como a Operação Carne Fraca, não podem ser impeditivos para que o ministério avance nas discussões sobre autocontrole. “[Autocontrole é] Arriscado por quê? Então quer dizer que as nossas indústrias são irresponsáveis? Carne Fraca foi um processo que foi corrigido. Ou o Brasil vai ficar a vida inteira falando de Carne Fraca? Está na hora de o ministério assumir suas responsabilidades e os empresários assumirem as suas”, afirmou Tereza após reunião sobre o assunto no ministério. “Está na hora de o Brasil andar na inspeção, na responsabilidade de cada um, todo mundo assumindo seu papel. Está na hora de a gente virar adulto nesse jogo, que é um jogo importantíssimo e que, se o Brasil não assumir essa maturidade, nós vamos ter dificuldade pelo tamanho das nosso mercado, das nossas exportações”, completou. A Ministra não fez qualquer previsão sobre o envio do PL ao Congresso. Segundo ela, uma lei para aprofundar a regulamentação do autocontrole não é “uma coisa que é feita da noite para o dia” e o Ministério da Agricultura ainda precisará oferecer certas garantias aos países importadores de que não haverá descuido com a segurança sanitária dos alimentos e insumos produzidos no Brasil.

VALOR ECONÔMICO

ECONOMIA

Ibovespa tem queda com realização de lucro, acomodação no exterior e olho na Previdência

O Ibovespa encerrou em queda na terça-feira, em realização de lucros após subir 4,52 por cento em três sessões, também influenciado pelo viés mais negativo no cenário externo, enquanto investidores permanecem na expectativa de novidades sobre a pauta de reformas do governo, em particular mudanças nas regras de aposentadorias.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,70 por cento, a 95.386,76 pontos, de acordo com dados preliminares. O volume financeiro somava 11,8 bilhões de reais. Para Rodrigo Zauner, sócio e analista da SVN Investimentos, o índice acompanhou o movimento de acomodação no exterior, dada a falta de notícias sobre a reforma da Previdência no cenário doméstico. “O mercado financeiro tenta precificar qualquer notícia e a falta delas gera oportunidade para realização de lucros”, afirmou. Em Wall Street, o índice de referência S&P 500 fechou estável, após três sessões consecutivas de ganhos, enquanto os contratos futuros do petróleo subiram com cortes de oferta liderados pela Opep e sanções dos EUA sobre Venezuela e Irã. Nesta terça-feira, o líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que ainda é cedo para o governo fazer concessões sobre a reforma da Previdência, num momento em que o ministro da Economia, Paulo Guedes, entra em campo para tentar afinar a articulação política em torno da proposta.

REUTERS

Dólar crava 4ª queda seguida ante real, à espera de fluxo e agenda de reformas

O dólar engatou na terça-feira a quarta queda consecutiva frente ao real, afastando-se mais dos picos em seis meses alcançados na semana passada, conforme investidores reagiram a expectativas de ingressos de recursos, mas sem tirarem atenção do noticiário envolvendo a reforma da Previdência

O dólar negociado no mercado interbancário fechou em queda de 0,50 por cento, a 3,8569 reais na venda. Ao longo do dia, a cotação oscilou entre 3,8490 reais (-0,70 por cento) e 3,8800 reais (+0,10 por cento). Na semana passada, o dólar chegou a superar os 4 reais durante os negócios, antes de terminar a 3,9545 reais, maior patamar desde outubro do ano passado. Desde então, a moeda norte-americana registrou quatro quedas consecutivas, acumulando desvalorização de 2,47 por cento. A divisa, porém, ainda está 5,41 por cento acima da mínima deste ano (de 3,6588 reais, marcada em 31 de janeiro), sinal de que uma parte importante do prêmio de risco acumulado com o aumento da incerteza com a Previdência prossegue. No mercado futuro da B3, a referência do dólar tinha alta de 0,12 por cento nesta terça-feira, a 3,8640 reais. A aparente divergência entre as cotações nos mercados à vista e futuro está ligada ao descasamento entre horários de fechamento de ambos e tem sido mais notável desde a semana passada, quando por vezes novas notícias relacionadas à reforma previdenciária vieram à tona após o término das operações de câmbio no mercado spot.  “Mas hoje o dólar spot ficou ‘pesado’ por causa das notícias sobre fluxo”, disse um operador de tesouraria de um banco paulista. A JBS informou nesta terça-feira que precificou 1 bilhão de dólares em bônus com vencimento em 2029, com taxa de 6,5 por cento, pela JBS USA Lux S.A., JBS USA Finance, Inc e JBS USA Food Company, subsidiárias integrais da companhia. Apesar do peso dos eventos internos sobre o preço do dólar, analistas ponderam que o mercado de câmbio doméstico segue bastante influenciado pelos eventos externos.

REUTERS

IPC-Fipe sobe 0,51% em março com pressão de Alimentos e deflação de Despesas Pessoais

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo fechou março com alta de 0,51 por cento, após avanço de 0,54 por cento no mês anterior, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta quarta-feira

A maior pressão sobre o índice no mês partiu do grupo Alimentação, que subiu 1,75 por cento e registrou peso de 0,4264 ponto percentual, depois de ter avançado 1,64 por cento em fevereiro. Por outro lado, os preços de Despesas Pessoais recuaram 0,84 por cento, com peso de -0,1149 ponto no índice de março, sobre deflação de 0,36 por cento no mês anterior. O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

REUTERS

EMPRESAS

JBS diz que precificou US$1 bi em bônus para 2029 e realizou reabertura de US$500 mi para 2026

A JBS informou na terça-feira que precificou 1 bilhão de dólares em bônus com vencimento em 2029, com taxa de 6,5 por cento, pela JBS USA Lux S.A., JBS USA Finance, Inc e JBS USA Food Company, subsidiárias integrais da companhia

De acordo com o fato relevante, as ‘Notas 2029’ serão garantidas pela empresa, que pretende utilizar os recursos da transação para o pré-pagamento do saldo de bônus que expiram em 2021 da JBS USA e amortização do Term Loan. A JBS também disse no documento que realizou a reabertura de bônus para janeiro de 2026, conforme anunciado ao mercado em 18 de outubro de 2018, no valor total de 500 milhões de dólares, por meio de sua subsidiária integral JBS Investments II GmbH. “A taxa de retorno (yield) da reabertura foi de 6,72 por cento ao ano, em decorrência principalmente de uma sobre demanda de mais de 4,0 vezes o valor inicialmente pretendido”, de acordo com a empresa. As ‘Notas 2026’ serão garantidas pela JBS S.A., que disse que pretende utilizar os recursos da transação para alongamento do perfil de vencimento de suas dívidas, por meio do pagamento de dívidas com vencimento em prazo mais curto.

REUTERS

FRANGOS & SUÍNOS

Frango Vivo: estabilidade nas cotações nesta terça (02)

Na terça-feira (02), a cotação do frango vivo se manteve estável nas principais praças do país, sendo o maior valor negociado em São Paulo, a R$3,40/kg

O indicador da Scot Consultoria para o frango em São Paulo trouxe estabilidade para o frango na granja, a R$3,40/kg e alta de 4,12% para o frango no atacado, a R$4,55/kg. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP, a carne de frango foi a segunda que mais teve elevação nos preços no correr deste mês. Isso se deve a um maior ritmo das vendas ao exterior. Contudo, a carne conseguiu se tornar mais competitiva do que as demais.

Scot Consultoria

INTERNACIONAL

Indústrias dos EUA acusam empresas de frango de manipular preços

Um grupo de empresas que inclui Kraft Heinz, Conagra e Nestlé entrou com uma ação no tribunal federal de Chicago, nos Estados Unidos, alegando que Tyson Foods e Pilgrim’s Pride (controlada pela brasileira JBS), entre outros processadores de aves, trabalharam juntas para inflacionar os preços do frango no país

Os documentos judiciais sustentam que as empresas acusadas se uniram para manipular preços de 2008 a 2016. Dizem que os fornecedores de frango, de maneira coordenada, sacrificaram aves a fim de reduzir a oferta e valorizar o produto. De acordo com documentos judiciais, “executivos sêniores de oito dos dez réus do Georgia Dock [denominação das empresas que ficam numa mesma região] eram membros de um secreto ‘Conselho Consultivo da Georgia Dock’, que desempenhou um papel na compilação e manipulação do preço de referência”. Além da Pilgrim´s e da Tyson, estão entre os réus Fieldale Farms, Perdue, Sanderson Farms, Koch Foods, Claxton Poultry, Harrison Aves, Mar-Jac e Wayne Farms. De acordo com comunicado da Tyson, o novo processo está simplesmente tentando se aproveitar de reclamações feitas em outros casos. “Essas reclamações não mudam nossa posição de que as alegações são infundadas”. Procurada pelo Valor, a JBS preferiu não comentar.

VALOR ECONÔMICO

Maiores informações:

ABRAFRIGO

imprensaabrafrigo@abrafrigo.com.br

Powered by Editora Ecocidade LTDA

041 3088 8124

https://www.facebook.com/abrafrigo/

 

abrafrigo

Leave Comment