Beef Tour 2018 percorre fazendas dos Estados Unidos que fornecem genética bovina para o Brasil

Propriedades norte-americanas estão entre as mais criteriosas do mundo

Ver “in loco” o trabalho de seleção mais criterioso do mundo, aprofundar-se nas tecnologias genéticas adotadas, nos sistemas de produção, além de gestão e sucessão familiar. Essa foi a proposta do Beef Tour 2018, promovido e organizado pela GENEX no mês de julho, que percorreu os estados de Wisconsin, Dakota do Sul, Dakota do Norte, Minnesota e Missouri, visitando propriedades referência em genética Angus, Red Angus e Charolês.

O tour teve início na sede da GENEX em Shawano (Wisconsin), onde os participantes percorreram as instalações administrativas, laboratoriais e de coleta, e conheceram o criterioso trabalho para a produção de sêmen de alta fertilidade, um dos fundamentos da empresa. No segundo dia os viajantes foram até a Fazenda Schiefelbein, em Kimball, Minnesota, operação familiar fundada em 1955, que possui hoje 800 vacas registradas Angus e 5.200 acres de pastagens e agricultura.

Em Leola, Dakota do Sul, está a fazenda Bieber Red Angus, que possui sua seleção focada nas avaliações genéticas, genômicas e na adaptação a regiões quentes, já que boa parte de seus touros são vendidos a criadores do Texas. Em seguida o tour seguiu para Lindskov-Thiel em Isabel, Dakota do Sul, rebanho conhecido pelo melhor Charolês do mundo, mas que também possui um trabalho no Angus igualmente reconhecido. A operação conta com 5.000 vacas Angus comerciais, onde se explora o cruzamento com o Charolês. No mesmo dia, a visita continuou na Maher Angus, na cidade de Morristown, uma fazenda centenária com 600 vacas Angus registradas.

Na Dakota do Norte, a primeira Fazenda visitada foi a Ellingson Angus, em Saint Anthony, que possui um rebanho de 600 vacas Angus registradas. Fechando as visitas em fazendas, o grupo esteve na Schaff Angus Valley, onde foi possível ver a nova geração de touros SAV como Resource, Renown e Ten Speed, além de diversas progênies. O grupo ainda conferiu em primeira mão o mais jovem contratado da GENEX, SAV Expertise. Juliana Ferragute, gerente de produto corte, comenta que “é impressionante a produção do Resource, um dos touros que mais transmite comprimento e musculatura que já vi e por outro lado a feminilidade das filhas do Renown. Já o Ten Speed foi muito utilizado em vacas Resource e serão os bezerros que veremos no Beef Tour 2019”.

A experiência foi encerrada em visita à Associação Americana de Angus, em Saint Joseph (Missouri). Fundada em Chicago, Illinois em 1883 é responsável não apenas pelas avaliações genéticas e genômicas, mas também pela criação do projeto Carne Angus Certificada que garante a qualidade do produto até o consumidor e remunera o pecuarista, projetando a carne Angus para o mundo.

Para o pecuarista Dilvani Soldera, sócio-proprietário da Cabanha Soldera, criador de Angus de Panambi (RS) e assíduo participante do Beef Tour da GENEX. “O que tem de melhor em animais da raça Angus estão nos Estados Unidos e na bateria de touros da GENEX. O que o Beef Tour acrescenta é muito conhecimento, aprendizado e troca de experiências. Vimos animais adquiridos pela central, que virão para o Brasil, com características que buscávamos para nossa propriedade, animais de pelo curto, profundos, carniceiros, bons aprumos, com boas provas (DEPs) aliados a fenótipos muito lindos. O Beef Tour nos dá muitas opções de melhoramento genético, com animais comprovados e produtivos. É uma viagem que recomendo a todo criador que deseja melhorar a qualidade do seu rebanho aliada com lucratividade na atividade”.

Juliana ressalta que a experiência é muito enriquecedora, pois é possível acompanhar todo o processo de produção de sêmen, presenciar diferentes sistemas de produção, além de conhecer pessoalmente os touros, suas progênies e trocar experiências com os criadores americanos sobre os acasalamentos. “Já estamos ansiosos pelo Beef Tour 2019!”.

Fonte: Attuale Comunicação

abrafrigo

Leave Comment