Mercado de reposição segue cauteloso e com poucas negociações em Goiás

Marina Zaia

Na comparação com julho de 2016, todas as categorias de reposição tiveram quedas acentuadas em Goiás. O cenário é de poucas negociações.

O boi magro (12@) caiu 11,3%, o garrote (9,5@) recuou 11,5% e o bezerro, na média entre o desmamado e sobreano, 19,1%.

Esse cenário parece ser animador para o recriador/invernista, porém, nesse mesmo período, a arroba do boi gordo caiu 17,9%. Portanto, nessa análise, somente a troca com o bezerro está favorável.

A situação é ainda mais desafiadora para o boi gordo quando comparamos o comportamento verificado desde o início do ano.

Nos últimos sete meses o preço do boi gordo foi extremamente impactado pelos problemas político-econômicos e caiu 14,6%, enquanto todas as categorias de reposição tiveram, em média, queda de 4,4%.

Dessa maneira, desde o início do ano, o comprador de reposição vê o poder de compra diminuir.

Destaque para a troca com categorias mais eradas. Enquanto em janeiro comprava-se 1,31 boi magro com a venda de um boi gordo de 16,5@, atualmente compra-se 1,17, queda de 11,0% do poder de compra. Para o garrote, a relação de troca saiu de 1,57 para 1,40 no mesmo período, redução de 11,3%.

Para curto prazo, as mudanças climáticas no estado demandam atenção no momento da negociação.

Fonte: Scot Consultoria

abrafrigo

Leave Comment